MIOLO(S)

ESQUENTA

A essência de uma feira de arte impressa está no encontro presencial, nas conversas e nos livros que passam de uma mão para a outra. Até a pandemia do coronavírus, as feiras de publicações se multiplicavam, ganhavam corpo em diferentes pontos do país e provocavam o surgimento de novos editores, além de ampliar o público. Mas o ano de 2020 nos obrigou a repensar não só formatos, mas também o que nos move a organizar feiras, sejam elas presenciais ou virtuais.

No Esquenta Miolo(s) 2020, reunimos pessoas envolvidas com feiras de arte impressa para discutir o momento atual e compartilhar tentativas e ações neste contexto tão particular. O debate acontece ao vivo na sexta-feira, 4 de dezembro, às 20h, no YouTube da Biblioteca Mário de Andrade e no site www.feiramiolos.com.br.

ANA LUIZA FONSECA, paulista do Rio de Janeiro, contará do projeto virtual "Formas de la idea", criado na pandemia entre as feiras Tijuana (BR), Microutopias (UY) e Paraguay (AR).

GABI BRESOLA E MARCOS WALICKOSKY, da feira Flamboiã, de Santa Catarina, compartilharão as estratégias da edição deste ano, que foi totalmente virtual e envolveu editoras latino-americanas.

HELEN MURTA E JÃO, de Belo Horizonte, contarão da criação do Faísca Festival Internacional de Risografia, abordando suas dificuldades mas também suas possibilidades.

LEANDRO MELLO, de Brasília, falará da feira Motim, que neste ano se transformou em uma loja híbrida, online e presencial.

FLAVIA BOMFIM falará da feira Ladeira, que aconteceu em março dentro do FILEXPANDIDO, festival sobre literatura expandida, em Salvador, última feira antes da pandemia 

NATHANAEL ARAÚJO, pesquisador carioca de feiras de arte impressa pela Unicamp, compartilhará impressões sobre este ano tão atípico para os eventos de publicações.

CECILIA ARBOLAVE, da Lote 42, organizadora da Feira Miolo(s), fará a mediação do debate.

Ana Luiza Fonseca.jpg
Helen Murta
Gabriela Bresola
Jão
Nathanael Araújo
Marcos Walickosky
Flávia Bonfim
Leandro Mello
Cecilia Arbolave